Publicidade

terça-feira, 29 de outubro de 2013 CD, Lançamento | 15:42

Victor e Leo lançam 11º CD e aderem às redes sociais: “Serve como companhia na estrada”

Compartilhe: Twitter
Victor e Leo (Foto: Divulgação)

Victor e Leo (Foto: Divulgação)

Victor e Leo acabam de lançar o “Viva por Mim”, 11º álbum da carreira dos artistas. Se o “Ao Vivo – Floripa” já mostrava a dupla transitando em diversos ritmos, esse mostra ainda uma outra faceta dos irmãos. “Eu diria que é uma forma mais escancarada de mostrar as fontes que a gente bebeu de música. Ele mostra outros ventos, que sempre sopraram pra gente. Hard Rock, R&B, Black Music…”, explicou Leo, que, pela primeira vez, se arriscou como compositor de algumas faixas.

O álbum conta com 13 canções. Entre elas, as mais dançantes são “Amor.com” e “Conheço pelo cheiro”. As batidas mais pesadas podem ser ouvidas – e sentidas – em “Tudo com você” e, principalmente, em “Eu vim para te buscar”, canção em parceria com Bruno e Marrone, que deve ser a próxima de trabalho do álbum.

O romantismo da dupla segue em “O tempo não apaga” e “Na linha do tempo”, faixa que já vem sendo trabalhada. E, para que gosta dos irmãos cantando clássicos como “Vida Boa”, eles matam a saudade com “Tudo Bem”, com Almir Sater (que está entre as melhores do CD). Nessa faixa eles mostram que, mesmo com tanta inovação e vontade de repaginar, a raiz da dupla acaba falando mais alto.

iG: Antes de lançarem o CD vocês afirmaram que esse seria um trabalho diferenciado, com uma ideia renovada. Hoje, como definem esse álbum?
Victor: É uma mistura do que a gente sempre fez, porém com uma cara um pouco diferente no sentido de sonoridade. A gente sempre misturou muito, sempre teve uma cadência claramente mista, heterogênea. Por isso que muita gente sempre confundiu nosso estilo com tudo. E a gente sempre disse que nosso estilo é nosso estilo. Continua sendo. Mas é obvio que esse disco traz essa mistura de maneira mais elétrica.
Leo: Eu diria que é uma forma mais escancarada de mostrar as fontes que a gente bebeu de música. Ele mostra outros ventos, que sempre sopraram pra gente. Hard Rock, R&B, Black Music… Mantendo o que a gente sempre teve. A nossa essência está no romantismo. Mas esse disco escancara. Ele ousa. A intenção nossa é repaginar mesmo.

iG: Por terem essa intenção de repaginar, você já estavam prontos para receber críticas, certo? Já ouvi alguns comentários, por exemplo, de que algumas canções estão lindas, mas não são a cara de vocês.
Leo: Qualquer mudança brusca que você tenha na vida, tanto na pessoal quanto profissional, você põe a cara a tapa. E, quando você põe a cara a tapa, está preparado para receber um sim ou um não. Então não me incomoda, definitivamente, as críticas. Até porque, pelo o que vejo, são mínimas.
Victor: A maioria é positiva. É diferente, mas é Victor e Leo. A maioria entendeu muito bem o trabalho, absorveu bem. Se não fosse, também…Tudo bem.
Leo: Foi um disco muito ousado. Algumas pessoas brincavam que foi um tiro no escuro. Não. A gente sabia onde estávamos atirando. Acho que essa questão de as pessoas falarem que é legal, mas não é Victor e Leo, está muito ligada ao preconceito. Você, por ter feito um determinado estilo de 2006 até 2012, não pode mudar em 2013. O que acontece na música sertaneja hoje é a mesma coisa. Falam que se não fizer o que se fazia nos anos 80, que é viola, sanfona, aquelas levadas mais rancheiras, não é música sertaneja. Eu já vejo com outros olhos. É uma evolução da música sertaneja.

Victor (Foto: Divulgação)

Victor (Foto: Divulgação)

iG: Victor, você comentou que se o pessoal não gostar, tudo bem. Muito artista afirma que, o que canta, não é exatamente o estilo que gosta, mas toca porque é aquilo que o público quer ouvir ou o que a gravadora e as rádios pedem. Você não se importam com isso, então?
Victor: O artista que não faz o que ele quer ou o que aprova, está sendo fake. Não sei que artista é esse. Se você gosta de ouvir um artista que não é aquilo que ele faz, você ouviu o que ele fez, mas você não ouviu  que ele é. Não é nem um pouco sincero. Todo mundo tem direito até de não ser sincero. Mas no caso da gente, a gente procura ser.

iG: Leo, e seu momento compositor? Teremos mais canções suas pela frente?
Leo: Não tenha dúvida. Não paro mais de compor. Tenho mais de 40 letras escritas em meu laptop pra fazer melodia. Nunca fui de escrever. Comecei de três anos para cá. Senti uma necessidade de expor minhas emoções, minhas vivências amorosas, do passado e do presente. Resolvi me experimentar. Estou super feliz e realizado com isso, porque as pessoas entendem. Só estou começando, me experimentando ainda.

iG: Como foi a escolha de convidados para o CD?
Victor: Partiu do Leo…
Leo: Meu irmão esteve junto comigo o tempo inteiro. Na verdade o que aconteceu de eu estar mais presente, foi porque as primeiras músicas que eu produzi e fiz os arranjos, fizeram uma curva um pouco mais acentuada para outros estilos. O Victor, então, falou: ‘você devia continuar fazendo, porque se eu começar a fazer as minhas, não vai ficar um disco homogêneo’. Mas tudo o que eu venha a fazer tem muito do Victor. São 21 anos cantando juntos. Mas sobre os convidados, o Almir Sater é um grande ídolo, que nos influenciou muito. Foi uma escola pra gente. Jorge e Mateus foi uma coisa também que a gente já queria fazer há algum tempo. É uma dupla que a gente admira, é referência hoje para o mercado inteiro. A outra parceria foi com Bruno e Marrone, que é uma dupla que a gente admira há muitos anos. Quando mostramos a música, o Bruno ficou meio em dúvida.

iG: Ele comentou que não tinha entendido
Leo: Exato, no primeiro dia ele ficou assustado. Achei que ele não fosse querer gravar, não (risos)

iG: Em recente entrevista pro iG, o Sérgio Reis lembrou da música que você deixou com ele e ele não gravou… (Confira aqui entrevista completa com Sérgio Reis)
Victor: Ele tem a versão dele e eu tenho a minha (risos)

iG: Então conta a sua versão dessa história.
Victor: Na verdade, o caso com o Sérgio Reis era diferente de tudo. Não queria que ele gravasse só porque ele era um artista de sucesso. Tive acesso a outros artistas e não levei música nenhuma. Já tínhamos nos encontrado com Sérgio em Minas. Aí nos reencontramos e gravei umas cinco músicas e deixei um CD. Como o Sérgio era um cara que a gente ouvia quando a gente era garotinho, ele era uma espécie de herói. Não era a história do Batman ou do Superman, era o Sergião com espingarda, uma faca na bota, num vagão de trem. Estava no nosso inconsciente sonhador. Deixei o CD para ele lá. Acho que ele não ouviu, deve ter esquecido. Aí, um dia, o filho dele ouviu e reconheceu que estava naquele disquinho ‘Vida Boa’ quando começou a estourar. Tipo cinco anos depois. Aí meu celular já não era o mesmo. Ele inventa outra história, que não deixei o telefone, sei lá mais o que (risos). Encho o saco dele.

iG: E vocês, escutam todas as canções que recebem?
Victor: é muita coisa…
Leo: Eu escuto quase tudo, porque tem umas músicas que você escuta a primeira frase e já pula para outra. Mas tudo o que chega no escritório procuro escutar. Sempre faço um laboratório.

Leo (Foto: Divulgação)

Leo (Foto: Divulgação)

iG: Vocês agora estão assíduos no Instagram, em especial o Leo. Isso é para se aproximar mais dos fãs?
Leo: Não sei definir, mas tem a ver com o que você falou. Às vezes estou no hotel sozinho, depois do terceiro ou quarto dia, e você fica naquela solidão total da estrada, que você sai do palco e segue para o hotel, entra no avião, e vai para o palco, aquela coisa cercada. Você acaba ficando meio isolado, não tem muito contato, família longe, amigos longe. Hoje, para mim, esse lance da internet serve como uma companhia. Mas vem também dessa mudança geral que a gente teve, tanto no show, quanto na sonoridade, talvez um pouco no visual. É uma mudança interna.

iG: Sobre essa questão de mudança no visual, como você tem recebido as críticas?
Leo: Quando são positivas eu até paro para escutar. Mas quando são maldosas…
Victor: ou boatos…
Leo: É, ou boatos, é uma coisa que eu escuto e finjo que não escutei, vejo e finjo que não vi. O que acontece é uma mudança interna. Uma mudança minha. De alguns anos para cá, venho mudando a forma de lidar com as pessoas, de enxergar o ser humano. Amadureci. Tudo mudou. Principalmente o lado de me comportar. E isso refletiu naturalmente no visual. Não me sentia mais bem usando o que eu usava antes. Então comecei a procurar coisas novas. Me sinto bem assim. É o que eu tenho para dar hoje. Mas tem tudo a ver com a mudança musical, engloba uma série de coisas.

iG: Engloba também esse lance de ter começado a escrever?
Leo: Tem tudo a ver. Mas acho que o interessante em dizer é o seguinte. As pessoas falam: ‘poxa, você deixou de ser o Leo simples que eu conhecia’. Não acho que a simplicidade está nas vestimentas. Está na alma, na forma de você tratar as pessoas, lidar com as pessoas, se relacionar. A sociedade tem mania de julgar. Estou cansado de ver nego de terno e vestido bem, mulheres vestidas todas certinhas, que se você puxar a ficha delas, não vai gostar muito. Não me importo hoje em dia com nada do que eu vejo. Até porque nossos olhos são muito mais cegos do que a gente imagina.

iG: Victor, esse CD tem música para a Claudia Swarovski, o anterior tinha para a Laura Muller, nos outros, acredito que tenham outras canções para outras mulheres que passaram na sua vida. Quando a gente termina relacionamentos, a primeira reação é jogar tudo fora, rasgar lembranças e você não pode fazer isso, porque a música continua sendo seu trabalho. Como você leva isso? O que fica para você?
Victor: Eu não vinculo tudo dessa maneira. Porque a música, para mim, é só o resultado de uma transformação. É transformar um sentimento, um senso poético, um senso romântico em música. Depois de um tempo, essa música perde a característica de onde ela tenha surgido. Hoje, quando canto “Borboletas”, estou cantando uma música que parece que nem fui eu que compus. Não me lembro todas as vezes em que a canto, porque eu a fiz ou quem é que estava no contexto. A partir da nossa relação apareceu uma música, mas ela vai ter papel independente da gente. O papel depois que for gravada, é cultural, é artístico. E só voltando ao quesito de rede social, não é que eu não poste tanto, mas somos muito diferentes. Tenho um jeito de lidar com isso. Você já entrou? Viu o que posto?

iG: Sim. Você sempre coloca uma foto de natureza e um texto enorme, em forma de poemas. O Leo já gosta mais de mostrar o dia a dia…
Leo: (Para Victor) Você não gostava de rede social, começou a gostar há pouco tempo. Você mudou muito, começou a gostar.
Victor: Continuo não gostando dentro da visão que eu tinha. Eu jamais teria rede social para (Victor pega o celular, faz que está tirando um foto de si, sorrindo)… e coloco, “bom dia, gente amiga”. Isso não vai dar pra mim. Tem um monte de gente que gosta, não tem problema. Mas isso não é para mim. Eu queria ter uma ferramenta. Quando me separei, houve uma questão que envolvia a possibilidade de alguém inventar uma história para a gente. Foi a minha rede social o vetor de uma causa que estancou isso. Até que pensei, vou dividir alguns poemas, pensamentos, coisas que possam instigar. Houve até quem dissesse: “ih, você não vai ter nenhum seguidor”. Até que tem bastante gente chegando lá.

iG: Ainda sobre essa questão de rede social, o fã pode falar mais o que quer. E os que não são fãs, podem ir até lá para criticar diretamente. Isso não incomoda?
Victor: Quando alguém fala merda eu bloqueio, o Instagram é meu.
Leo: No meu também. Quando alguém opina de uma forma positiva, faz uma crítica com respeito, com educação. Deixo lá, não tem problema. Mas quando vejo que tem maldade, negativismo, às vezes até respondo.

iG: Em 2012, quando a gente fez essa entrevista, vocês criticaram bastante o cenário sertanejo da época. Apesar de ter sido um ano de diferença, como vocês analisam esse ano o cenário atual?

Leo: Particularmente critiquei muito o mercado. Eu disse que o mercado estava completamente prostituído. Acho que isso não mudou ainda, continua talvez um pouco mais prostituído. Sobre essa leva de artista novos, o que se faz hoje em termos de arte, música, conteúdo, o que tenho a dizer é que respeito tudo o que se faz, mas nem tudo ouço no meu carro. Posso não escutar determinado artista, mas sei que o cara está colocando dez mil pessoas na frente do palco. Se ele está fazendo bem para aquelas pessoas ou não é uma responsabilidade dele. Não cabe a mim julgar.

iG: Vocês foram indicados pela quinta vez ao Grammy Latino de Melhor Álbum. Acham que agora vocês trazem o prêmio para casa?
Victor: Não acho nada. Você imagina quantas centenas de milhares de artistas que existem e, a cada ano, quantos aparecem. Então você ter o quinto álbum indicado na sua carreira, é de um incentivo, de um primor muito grande. Agora, depois que você tem quatro indicados e não ganhou, o quinto você não precisa esperar nada (risos). Deixa andar.
Leo: Acho que esse ano vai dar. Já comprei até duas garrafas de vinho para comemorar. Acho que vai dar (risos).

iG: O Leo está mais otimista, heim?
Victor: Não sou pessimista, não acho que não vá ganhar. Mas eu achar que eu vou, também…Premiação é isso. Já assisti da cadeira premiações nas quais eu nem fui indicado, mas que eu sabia bem dentro da minha crítica pessoal, quem deveria. Entre quem deveria, se não ganhasse vinha um segundo. E um terceiro. As outras opções, nem cogitava. Entre elas, essas últimas eram as que ganhavam.
Leo: Comprei vinhos excelentes, para comemorar mesmo. Mas eu garanto uma coisa. Ganhando ou não, vou tomar as duas garrafas (risos).
Victor: Também comprei duas. Uma vou jogar na cabeça dos juízes. A outra vou beber pra esquecer.

Victor e Leo (Foto: Divulgação)

Victor e Leo (Foto: Divulgação)

Autor: Tags: , ,

20 comentários | Comentar

  1. 70 antonia maria 14/11/2013 16:59

    Você Victor é um homem maravilhoso, vc é ser humano sem igual e meu maior desejo é um dia poder te dar um abraço e conhece-lo de verdade, nao so o artista maravilhoso mais este belo homem que Deus criou. bjosss te adoro

    Responder
  2. 69 marlene 05/11/2013 8:38

    adoro victor e léu as suas musicas tocam na alma da gente

    Responder
  3. 68 vera 31/10/2013 21:11

    SOU FÃ DEMAIS DELES DESDE 2006 QDO OUVI PELA PRIMEIRA VEZ TEM QUE SER VOCE… LINDOS POR DENTRO E POR FORA SINTO-ME HONRADA EM SER SER FÃ ADMIRO DEMAIS PELO TALENTO… VICTOR PELO CARINHO E DEDICAÇÃO E RESPEITO AO SEU PUBLICO LEO PELO CARISMA E A DEDICAÇÃO QUE LEVAM AO PALCO,, PARABÉNS A CADA NOVO TRABALHO MAIS E MAIS ME APAIXONO POR ELES.. DEUS OS ABENÇOE E OS ILUMINE.

    Responder
  4. 67 lidiane 30/10/2013 19:32

    ai victor eu sou loca por , vc e loca por o leu eu adorei o novo cd de vcs fikou super da hora ai so quero um cd autogtafado ok bjosssssssssss amo vcs

    Responder
  5. 66 Natália 30/10/2013 16:40

    Eu amo esses dois. E em 2014 o primeiro show deles em MG eu irei!!!

    Responder
  6. 65 mara 30/10/2013 15:44

    não sou muito de redes sociais, mas, lendo essa entrevista pude perceber o quanto vocês
    são maduros em suas respostas e minha admiração p/ vocês só aumenta cada vez mais.
    Obrigada p/ dizerem em suas músicas aquilo que gostaríamos de dizer ou melhor cantar
    p/ alguém que amamos. Bjus!

    Responder
  7. 64 carlos de oliveira 30/10/2013 14:31

    é isso ai meus amigos continuem com estes grandes sucessos e esta carisma que só voces diante dos fãs voces merecem muito lutaram e estão ai firmes parabens .

    Responder
  8. 63 leoni 30/10/2013 11:17

    adoro suas musiças voces são dois lindos?

    Responder
  9. 62 Priscila Souza 30/10/2013 8:15

    São demais esses garotos!!rs

    Responder
  10. 61 Jeannyne Vitorio 30/10/2013 1:07

    Sou fã da dupla há 5anos , faço parte do Fa clube Borboletas (PB) e a cada dia me orgulho deles. Victor e Leo na vida de muita gente, são anjos enviados por Deus, porquê? Porque com suas músicas tiram pessoas do fundo do poço, reatam casamentos e fazem com que nós conhecemos pessoas que se tornam especiais em nossas vidas, amigas de verdade, e fazem o bem sem olhar a quem.
    Amamos as postagens no IG do Leo.A cada fim de show a cada amanhecer.Assim como as do Victor, postagens que nos fazem refletir, sonhar e acreditar. E eu acredito em vocês meninos! !
    Assim como eles, nós de fa clubes também sofremos críticas, mas o que nos leva a diante é k amor e acima de tudo RESPEITO ao nossos ídolos.
    Em nome do FC Borboletas, parabenizo ao site pela linda entrevista. É isso que querermos de vocês, entrevistas produtivas.

    Responder
  11. 60 Wemerson Santos 29/10/2013 22:54

    Grandes artistas Victor e Leo, sou super fã da dupla, são dois irmãos que facilitam a vida das pessoas com suas canções tem o dom de modificar vidas com belas letras, e eu com certeza fui uma dessas pessoas que tenho minha vida mudada para melhor depois que comecei ouvir Victor e Leo.

    Responder
  12. 59 Veluzia Araujo 29/10/2013 21:53

    Eu gosto muito de músicas sertanejas e principalmente da dupla Vitor & Leo.

    Responder
  13. 58 neli lurdes domingues 29/10/2013 21:30

    eu amo eses dois sou louca por esa dupla ai sempre q poso asisto a programas q eles estao meu sonho e ir num çhou deles um dia se deus quiser pedirao para q eu escrevese um comentario eu escrevi agora nao poso publicar pur favoooor

    Responder
  14. 57 neli lurdes domingues 29/10/2013 21:28

    eu amo eses dois sou louca por esa dupla ai sempre q poso asisto a programas q eles estao meu sonho e ir num çhou deles um dia se deus quiser

    Responder
  15. 56 Míriam Viégas 29/10/2013 20:21

    Adoro!!!!!!!!!!!!!!!! Torcendo pelo Grammy!!!!!

    Responder
  16. 55 Rejane Reis 29/10/2013 20:16

    Adorei a entrevista, gosto da maneira como eles se colocam, são autenticos…. e sigo os dois nas redes…adoro os posts do Victor!!!

    Responder
  17. 54 Rejane Reis 29/10/2013 20:12

    Muita boa entrevista…adoro a maneira que eles se colocam…..e sigo os dois no instagram…rsss

    Responder
  18. 53 miriam amaral 29/10/2013 20:10

    Hostaria tanto de reecontrar vcs vitor e leo lembram quando tocavam em minha casa n bairro Grajau em bh, vcs eram amigos da minha filha Alessandra , , passavamos a noite papeando e vcs cantando, estando em bh entrem em contato minha neta e doida p conhecer vcs inclusive ela e prima de vcs Abraços saudades.

    Responder
  19. 52 Solange rocha 29/10/2013 19:49

    Passa o tempo e eles continuam maravilhosos, não me canso de escutar, já fui a shows e adoro, tenho os cds que vão comigo pro trabalho, no carro, já os encontrei pessoalmente, são pessoas maravilhosas, amo.,

    Responder
  20. 51 isabel palhares 29/10/2013 19:37

    eu adoro o victo e léu a na linha do tempo o destino escreveu com letras douradas você e eu isso e o amor essa musica e minha homenagem a mim
    bjs
    victo e léu
    <3

    Responder
  1. ver todos os comentários
 

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

* Campos obrigatórios


 

Responder comentário


* Campos obrigatórios