Publicidade

sexta-feira, 6 de junho de 2014 Entrevista, Lançamento, Música | 17:27

Empresário de Victor e Leo aposta em nova dupla sertaneja: “Vale a pena arriscar todos os dias”

Compartilhe: Twitter

Welington e Nillo (Foto: Divulgação)

Welington e Nillo acabam de lançar o CD “Decifrar” (físico e virtual) e o clipe de “Primeiro Olhar” (assista abaixo), música que abre o disco da dupla. Assim, aos poucos, o trabalho dos sertanejos vai sendo difundido pela internet. O que pouca gente sabe ao ouvi-los é que, embora pouco conhecidos, eles têm uma forte relação com uma famosa dupla. Welington e Nillo são empresariados por Alexandre Mello Soares, o mesmo que estourou Victor e Leo e segue com eles até hoje.

Aos 41 anos de idade e trabalhando desde os 12 com o show business, Alexandre já trabalhou com algumas duplas sertanejas antes de Victor e Leo, mas, desde então, só havia apostado em Fred e Gustavo, parceria que não deu muito certo. Depois disso, resolveu acreditar em Welington e Nillo e, há um ano, conta com os artistas no escritório Clube do Cowboy. “Depois que meu foco deixou de ser somente a produção de eventos e passou para o empresariamento, e o Victor & Leo virou uma realidade, a gente sempre teve uma expectativa de gostar de uma música que possa tocar nos ouvidos e que as pessoas possam gostar de ouvir. Dentro disso tive contato com vários outros artistas, mas o que me chamou a atenção em Welington e Nillo foi a originalidade deles. A essência de uma música desenvolvida, criada, composta e produzida por eles. Vi um diferencial ali, que realmente me tocou”, contou Alexandre durante entrevista ao iG em seu escritório, em Uberlândia, Minas Gerais.

A meta agora é fazer com que o mercado e o consumidor de música sertaneja entenda o som da nova dupla. “A música do Welington e Nillo, eu acredito que, como é feita na essência deles, a gente precisa testar ela nas rádios, para o mercado ouvir e ver se conseguem entender a musicalidade deles. Eu, particularmente, entendi e gostei, tanto de letra quanto de melodia. Então nossa ideia é tentar mostrar para o maior número de pessoas para a gente ver qual vai ser a reação delas a cada dia, a cada execução, a cada compra na internet, a cada evolução”.

Para isso, Alexandre tem alguns caminhos já planejados e traçados. A ideia é focar em oito Estados brasileiros, colocar a faixa em rádios e deixar o álbum disponível em sites de compras, como o iTunes. “Hoje, a internet e a comunicação estão realmente unidas. Então o que imagino, se várias pessoas em uma região menor gostam daquilo, aí a gente já consegue dominar mais uma outra região”, explica o empresário, que acredita muito no tão falado boca a boca, o que ele chama de “efeito formiguinha”.

Carreira

Welington e Nillo ganharam espaço em um escritório que recebe cerca de 15 trabalhos diferentes por semana, de artistas que, como eles, almejam um lugarzinho ao sol, um espaço no mercado sertanejo. “São ‘paitrocinadores’, amigos dos amigos, primos dos colegas… Realmente muita gente que quer tentar de uma maneira ou de outra mostrar o trabalho”, conta.

A busca pelo escritório tem alguns motivos especiais. Victor e Leo como vitrine, claro, é um deles. Mas, para Alexandre, não é o principal. “O grande segredo disso é mais o que a gente vive como um todo. A forma de gerir, a maneira, a transparência com as atitudes e principalmente a organização, a maneira de conduzir com seriedade. O Gino, do Gino e Geno, que é uma dupla que ficou pra separar várias vezes e foi fazendo sucesso quando eles já estavam com mais de 30 anos de carreira, me falou uma coisa muito interessante e eu nunca esqueci: ‘Alexandre, na música, o tempo de Deus é outro’. A gente nunca sabe qual é o momento. E como a gente não tem uma bola de cristal, eu sempre estou confiando no que o artista consegue desenvolver, para que, depois, a gente possa mostrar de maneira inteligente, para que tenha potencial de venda para o artista e para o escritório”, explica Alexandre, que não costuma se intrometer na parte artística, apenas na comercial e na gestão de negócios.

Entre as tentativas, Alexandre não revela se perdeu muito dinheiro. Mas garante: “o saldo é positivo. O que vale é isso. Se a gente somar o que deu de alegria e o que deu de tristeza, com certeza o saldo é positivo e vale a pena a gente arriscar todo o dia. Mas eu ainda continuo apostando na musicalidade. Nada substitui uma boa música”.

Àqueles que desejam ter os olhos de Alexandre voltados para si, algumas dicas. “A musicalidade é uma das coisas mais interessantes. Hoje, um bom profissional jamais pode falar que uma música não pode dar certo e jamais pode falar que uma música vai dar certo. Conheço artistas que tem domínio excelente de voz e não conseguem realmente que a música seja nacional, e outros que não tem o mesmo domínio e passam uma essência que consegue ser nacional. O que procuro ver é o talento, a musicalidade, o caráter, a vontade de querer crescer. É o que realmente me motiva e achar um equilíbrio para trabalhar junto”.

Autor: Tags: , , ,

7 comentários | Comentar

  1. 57 Claura Mendes 09/06/2014 10:41

    Parabéns, a dupla é excelente, combinação perfeita entre vocais, letra, melodia…do contrario do que a Romilda falou ali em cima, achei a dupla diferenciada sim…para mim, mesmisse é colocar duplas sertanejas no mercado com letras repetitivas, e sem conteúdo…o sertanejo deles me faz lembrar a infancia e ao mesmo tempo me passa um ar de modernidade ao colocar um toc pop rock em uma certa parte da musica.
    So nao gostei do nome….achei grande e pouco comercial, apostaria em Tom e Nillo ou Neto e Nillo…mas isso é com vocês, o empresário de Victor e Léo deve saber o que esta fazendo…rssss
    Sucesso para vocês

    Responder
  2. 56 Leo 07/06/2014 10:46

    Gostei.. a música tem letra ótima e melodia suave.. boa sorte e que o Brasil aprenda a dmirar esse talento

    Responder
  3. 55 antonio oliveira de souza 07/06/2014 1:49

    gostei muito vozes bem afinadas e não gritam muito igual muita gente por ai que acham que cantar bem e cantar alto pra alcançar notas altas.

    Responder
  4. 54 antonio oliveira de souza 07/06/2014 1:44

    gostei muito musica boa e não gritam tanto igual muito gente por ai que acham que cantar bem e gritar e alcançar notas altas.

    Responder
  5. 53 Romilda Lucas 06/06/2014 22:15

    Não gostei,achei a dupla mediana,sem novidades , as vozes igual a tantas outras.Não basta serem afinado e as vozes combinarem:tem que ter um diferencial.

    Responder
    • Bruno Custódio 09/06/2014 13:42

      de que você gosta Romilda ?dê um exemplo.

      Responder
    • Leticia Spirandelli 09/06/2014 10:32

      Romilda, acho que vc tem direito a não gostar, mas se você procurar outras musicas verá que esses meninos são diferenciados sim, o vocal nao tem nada de igual, desculpe, mas você esta precisando ouvir mais musicas.
      Talvés você seja uma dessas pessoas que gosta de “tchetcherere…”, ou “nossa nossa assim vc me mata”….estamos falando de musica de qualidade, de letra com conteudo, histórias ou estórias contadas através de um rítimo…é disso que a musica brasileira esta precisando, de compositores como eles.

      Responder
    • Arislania 07/06/2014 11:55

      Sinto muito Romilda,mas então você não sabe oque e talento…

      Responder
  6. 52 saulo 06/06/2014 21:39

    somos um país versátil de varios ritmos musical mais gente não aguentamos mais tanta dupla sertaneja té bandas maravilhosa a procura de um empresário jazz bluzz etc.

    Responder
  7. 51 Bruno Custódio 06/06/2014 17:53

    Muito bom o clipe, a musica muito bonita .Parabéns a dupla!!!

    Responder
  1. ver todos os comentários
 

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

* Campos obrigatórios


 

Responder comentário


* Campos obrigatórios