Publicidade

Posts com a Tag Rionegro e Solimões

terça-feira, 24 de junho de 2014 Clipe, Lançamento, Música | 20:34

Rionegro e Solimões: “Lançar um disco já não é mais a prioridade do artista”

Compartilhe: Twitter

Rionegro e Solimões (Foto: Divulgação)

Depois de “O Cowboy Vai Te Pegar”, Rionegro e Solimões acabam de lançar mais uma faixa bem humorada. E “Cavalo tá doidão” vem acompanhada de um videoclipe, que tem lançamento oficial nesta quarta-feira (25).

O vídeo (que você assiste logo abaixo) foi gravado em Franca, no interior de São Paulo, além de alguns pontos turísticos da capital paulista, como a Avenida Paulista e no Parque do Ibirapuera, por onde Solimões desfilou com seu cavalinho de pau.

“Cavalo tá doidão” é um single, que deve ser gravado no DVD comemorativo da dupla, que completou 25 anos no dia 1º de abril.

Com tantos anos de estrada e uma marca presente na história da música sertaneja, Rionegro e Solimões seguem fortes com a agenda de shows, fazendo uma média de 20 apresentações por mês.

Confira a seguir uma breve entrevista com a dupla, que já lançou 18 CDs, três DVDs e venceu mais de 10 milhões de discos.

iG: Esta é a segunda faixa seguida com letra bem humorada que vocês lançam. É uma aposta que deu certo para vocês?
Rionegro: Sim. ‘O cowboy vai te pegar’ foi muito bem aceita e repetimos a dose agora com o ‘Cavalão ta doidão’, que promete ser mais um grande sucesso.
iG: Devem seguir nessa linha no próximo trabalho?
Solimões: A gente não pensa dessa forma. Na verdade, queremos é que nosso público, os fãs que nos acompanham, se identifiquem com nosso trabalho como tem sido sempre. Fazemos isso com muito carinho.

iG: “Bate o pé” talvez seja a música mais conhecida de vocês. Até quem não escuta música sertaneja a conhece. As duas últimas apostas de vocês também são bem para cima. A imagem que querem deixar para o público é a de uma dupla com faixas mais animadas?
Rionegro: Se for pra destacar, seriam várias. Mas o ‘Bate o pé’ é um grande sucesso. E a música ‘Na sola da bota’ teve, talvez, uma maior projeção por ser tema da novela “América”, da Globo. Chegamos até a participar das gravações. Com essa força, ela pode ser hoje a mais conhecida.

iG: O que vocês preferem fazer? As bem humoradas ou as mais românticas, como “Frio da Madrugada” e até mesmo a “Romântica”?
Solimões: A gente gosta de animar e, também, de fazer o coração doer. Pois o sentimento é assim. A gente ri e ao mesmo tempo, chora. Com todo mundo é assim. Sempre gostamos de emocionar e alegrar o nosso público em todos os momentos.

iG: Este ano vocês completaram 25 anos de carreira. Em entrevista no ano passado, vocês afirmaram que pretendiam gravar um DVD comemorativo. Como ficou esse projeto?
Rionegro: Realmente esse DVD queremos concluir nesse ano. Mas graças a Deus e aos nossos fãs, estão acontecendo muitas coisas boas em nossa carreira e as músicas que estamos lançando, estão sendo muito bem aceitas. Ficamos felizes e não queremos atrapalhar esse momento que está muito legal. Com isso, O DVD espera um pouquinho.

iG: Os últimos três trabalhos de vocês vieram acompanhados de clipes. Os trabalhos com esse tipo de material dispensam a necessidade de um álbum físico, como acontecia no passado?
Solimões: Temos que acompanhar a evolução. Hoje, o povo quer ouvir as músicas e assistir aos vídeos. E estamos juntos com o povo. Lançar um disco já não é mais a prioridade do artista. O que precisa hoje é acertar uma música que agrade o povo e tenha um vídeo que ajude a passar a mensagem dela.

 

Autor: Tags:

quinta-feira, 6 de junho de 2013 CD, Clipe, Crítica, Lançamento | 20:30

Solimões: “Música é que nem jiló, tem muita gente que não ouve por preconceito”

Compartilhe: Twitter

Rionegro e Solimões (Foto: Divulgação)

Rionegro e Solimões lançaram na tarde desta quinta-feira (06) o clipe de “Romântica” (assista abaixo), canção que já está tocando nas rádios e que fará parte do próximo CD da dupla. Solimões contou ao iG que a escolha da canção como novo trabalho em vídeo não teve nenhuma influência do mercado sertanejo, que tem mostrado muito mais romantismo do que o visto em 2012. “Gravamos e lançamos porque achamos a música linda”, explicou o cantor, que ainda comentou as críticas feitas por Victor Chaves sobre as atuais duplas. “Música e novela são feitas baseadas no que o povo está vivendo. Mesmo que eu não curta, tenho que respeitar. Eles cantam o que o povo faz”, comentou Solimões.

Em 2014, Rionegro e Solimões completam 25 anos de carreira e já pensam em um trabalho para celebrar. “Temos um projeto, que está só na nossa cabeça, de gravar um DVD para comemorar”, comentou. Enquanto não se confirma a gravação, eles seguem na estrada com cerca de 90 shows por mês. “Não queremos passar de 100, porque fica cansativo, e menos de 80 é preocupante”.

Leia mais: Victor Chaves: “As duplas atuais cantam muito lixo e pornografia musical, que faz mal para as novas gerações”

iG: Qual o perfil do próximo CD? Seguirá a linha da canção “Romântica”?
Solimões:
A linha do Rionegro e Solimões é a mesma desde 1997. Procuramos nos manter no mesmo ritmo. Somos uma dupla sertaneja, mas já gravamos rock e outras maluquices. Para este CD, vamos manter o padrão romântico e dançante. O que podemos mostrar é nossa evolução dentro da música, sem perder nossa característica que é de modas doídas por um lado e animadas do outro, como ‘Bate o Pé’. A música diz o que o povo está vivendo. Antes se falava de carro de boi. Hoje os assuntos são outros.

iG: Quantas faixas terá o CD e quando será lançado?
Solimões:
Já temos três músicas gravadas. Ainda não sabemos quantas faixas serão. Só saberemos depois que gravarmos, porque sempre aparece uma música na última hora e que pode nos conquistar. Aí o jeito ou é derrubar uma para colocar ela no lugar, ou aumentar o número de faixas. Mas acho que vai ser entre 10 e 12 canções. A previsão de lançamento… é muito difícil marcarmos uma data, porque não tem nada que atrase mais que um disco, mas acho que nos próximos dois meses será lançado. Pode esperar até o comecinho do próximo semestre.

iG: Aproveitando a nova canção, o mercado está apostando muito nas românticas, mudando muito o cenário que foi visto no ano passado. O lançamento desta faixa é pensando nisso?
Solimões
: Eu e o Rionegro gostamos de mostrar para o povo aquilo que a gente acha que tem a nossa cara. Gravamos e lançamos porque achamos a música linda. Até porque se seguíssemos a linha de que música romântica está na moda, eu ia ficar muito perdido no palco, porque eu interpreto e danço bastante no palco e brinco. E fazer palhaçada com música romântica fica ridículo. E temos uma missão de achar o caminho de agradar o púbico que gosta de música dançante e de quem gosta de música romântica.

iG: Esse ano, estão lançando o CD. O próximo trabalho já será pensando em algo comemorativo aos 25 anos da dupla?
Solimões:
No ano que vem vamos fazer 25 anos de carreira. No dia 1º de abril de 1989 lançamos o primeiro disco. Temos um projeto, que está só na nossa cabeça, de gravar um DVD para comemorar. Mas como as mudanças são muito rápidas, tudo pode mudar.

Leia também: Victor e Leo: “O mercado sertanejo, hoje, é uma prostituição absoluta”

Leia mais: Milionário : “Tem vários artistas que cantam sertanejo, mas não sabem o que é o sertanejo”

iG: Vocês já são renomados no mercado, já gravaram com muita gente. Mas existe algum sonho ainda de parceria?
Solimões:
O meu sonho é estar no meio de grandes artistas, mas não tenho alguém especial que eu gostaria de gravar. Chitãozinho e Xororó foi muito legal. A gente queria ser amigos deles e sermos convidado para participar do DVD de 40 anos deles foi um sonho, uma emoção enorme. E participar do “Emoções Sertanejas”, com Roberto Carlos, também foi muito legal. Mas nosso negocio é correr atrás e trabalhar. Porque, quando as parcerias acontecem como surpresa, é muito mais gratificante do que quando a parceria é uma meta…

iG: Recentemente, Victor Chaves fez algumas críticas ao mercado, dizendo que as atuais duplas sertanejas só tocam lixo e pornografia. Como você analisa o mercado atual?
Solimões:
Eu curto muito o trabalho do Victor e Leo. Acho que a música sertaneja só cresceu desde o dia que eu nasci, ela só evoluiu e foi conquistando o público. Música e novela são feitas baseadas no que o povo está vivendo. Mesmo que eu não curta, tenho que respeitar. Eles cantam o que o povo faz. Quando começamos com as músicas agitadas, tipo “Bate o Pé”, fomos respeitados e os que criticaram nos fizeram abrir os olhos e melhorar. Sou de outra geração e o que essa rapaziada canta é o que está rolando hoje na vida das pessoas, então tem que respeitar. Tem muita coisa boa, mas eu só vou dizer uma coisa: uma das músicas mais lindas dos últimos tempos se chama “Prefácio” (de João Carreiro e Capataz). Música é que nem jiló, tem muita gente que não ouve por preconceito e quem faz música boa vai ficar para a história.

Autor: Tags: , ,